.ANCORAR.

Qualquer movimento que não esteja ancorado em si é vão.

ANCORAR é um projeto de pesquisa dedicado a investigar o corpo e o movimento a partir de um estudo aprofundado da pelve, nosso centro de gravidade, e uma das mais importantes estruturas de sustentação do nosso corpo. Surgiu com o intuito de sistematizar e aprofundar essa investigação que vem sendo desenvolvida por Flora Mariah desde 2018.  

A aposta desta pesquisa é que através de um trabalho focado na pelve, podemos acessar memórias, liberar tensões e traumas e nos reconectar com aquilo que nos dá suporte tanto mecânico, quanto emocional. Trabalhar nossa base e entender sua conexão estrutural com o corpo como um todo pode nos dar pistas potentes sobre como estão apoiadas nossas escolhas, nossas direções e nossos desejos na vida. 

Nossas ancas carregam camadas e mais camadas de história, nossa e de nossos ancestrais que são passadas de geração em geração. É uma zona do corpo historicamente marginalizada, o que faz com que partilhemos encarnações de violências e silenciamentos.

Mergulhar nesse mar e mover essas águas tão profundas é um movimento de resgate de si mesmo, mas não só, é também parte de um processo coletivo de cura e descolonização de nossas corpas. Um mergulho que exige coragem para tocar naquilo que dói, naquilo que nos foi escondido, ou silenciado, que não conhecemos e tememos, naquilo que não podemos controlar, nem tampouco nomear. Com coragem também entendemos que no mesmo lugar onde encontramos nossa dor, encontramos nossa força, pois é dentro da própria ferida que achamos a sabedoria para curá-la. 

As práticas do ANCORAR são um convite a abrir novos espaços, ancorar potências e liberar tensões desnecessárias, resgatando o prazer em habitar nosso próprio corpo. Um trabalho que não é direcionado a nenhum gênero ou padrão de corpo específicos, TODAS as corpas são bem-vindas! 

Atualmente, o trabalho pode ser experimentado em dois diferentes formatos:

Selecione a sua moeda
EUR Euro